Motovelocidade Brasil – COPA HORNET e CB 300 R – Resumo 2011

                           

  Continuamos com o resumo, não muito regularmente é verdade, da temporada 2011 dos principais campeonatos da motovelocidade brasileira. Já resumimos a Moto1000GP, a Superbike Series e agora vamos para a Copa Honda Hornet e Honda CB 300 R.

Carlinhos Romagnolli com a família Massa…

  Como se sabe, as duas categorias fazem parte do Racing Festival, idealizado pela família Massa (o pai Titôneo, Felipe e o irmão), e que é apoiado pela Fiat e Honda. O festival tá na ativa desde 2010 com grande sucesso, trazendo além das motos o Troféu Línea (carros de turismo) e a Fórmula Futuro (monopostos), que dá ao vencedor um estágio na escola de pilotagem da Ferrari.

  O mais legal é que, para um público eminentemente automobilista, as motos acabam roubando as atenções.

  Falando no que nos interessa, as motos, só pra lembrar tanto as Hornet CB 600 F quanto as CB 300 R, tem uma preparação muito limitada (só escapes, pneus e ajustes finos na ciclística). A pontuação premia os 20 melhores e é a seguinte; 25 pontos para o 1o, depois 22, 20, 18, 16, 15, 14, 13, 12, 11, 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1. Não há pontos para o pole.

  O calendário 2011 foi de seis etapas, sendo que as 600 corriam duas vezes por fim de semana (sábado e Domingo) e a 300 só no sábado. Vamos às datas; 07 e 08/ 05 (S.Paulo), 11 e 12/ 06 (Brasília), 14 e 15/ 07 (Londrina/ PR), 11 e 12/ 08 (S.Paulo), 22 e 23/ 09 (Curitiba/ PR) e 26 e 27/ 10 no Velopark, RS.

  Depois dessa pequena e necessária introdução vamos ao campeonato.

Muitos pegas e poucas motos na Copa Hornet 2011…

COPA HORNET- A briga foi ferrenha entre pelo menos cinco pilotos, Maico Teixeira, Wesley Gutierrez, Ricieri Luvizotto (18 anos e vencedor da Copa Ninja 250 em 2010), Marco Brunheroto e Murilo Colatrelli.  Nas duas ultimas etapas a disputa se concentrou em Teixeira e Gutierrez, com Luvizotto correndo por fora.

  No fim, campeonato para Teixeira por 4 pontos de vantagem sobre Gutierrez e 24 sobre Luvizotto. Detalhe; do 1o ao 5o foram apenas 39 pontos de diferença após 12 corridas mostrando o quanto o campeonato foi disputado.

  Fazendo um Raio-x do certame, Maico Teixeira venceu duas corridas, teve 4 segundos lugares, dois terceiros, 1 quarto, 2 quintos, e 1 oitavo. Ou seja, tremenda regularidade em posições top.

  Já o vice, Gutierrez, venceu seis vezes (o maior vencedor do ano), teve dois segundos, um 3o, um oitavo e um nono. Ele perdeu o título na 1a corrida da 2a etapa, quando caiu. Luvizotto    

começou vencendo as duas provas da 1a etapa, mas depois não venceu mais, colecionando 3 segundos, 3 quartos, 2 quintos e 1 sexto. Abandonou a corrida 1 da última etapa.

  Brunheroto não venceu nenhuma corrida, mas teve 3 segundos, 4 terceiros, 2 quartos, 1 quinto e 1 sétimo. Não pontuou na 1a corrida da temporada. Colatrelli foi outro que não venceu, colecionando 2 segundos, 2 terceiros, 1 quarto, 1 quinto, 4 sextos, 1 sétimo e 1 oitavo. William Pontes, que não participou da 1a etapa e foi 7o no final do ano, foi o vencedor das duas corridas da 2a etapa.

  No total 14 pilotos pontuaram nesta temporada, o que não deixa de ser um pouco preocupante, pois houve uma queda drástica de participantes. Isso pode ser um reflexo da concorrência com outras categorias fortes, o que leva a uma necessidade de escolha por parte de alguns pilotos que não tem verba pra participar de tantos eventos (e pensar que até bem pouco tempo atrás não havia sequer um evento. Os tempos mudam…). 

CAMPEONATO:

1-Maico Teixeira/ SP- 241

2-Wesley Gutierrez/ PR- 237

3-Ricieri Luvizotto/ SP- 217

4-Marco Brunheroto/ SP- 212

5-Murilo Colatrelli/ SP- 205

6-Guga Folheto/ – 166

7-William Pontes/ DF- 163

8-Adilson “Cajuru” Magalhães/ SP- 144

9-Douglas Figueiredo/ SP- 111

10-Osmar Cefrin/ RS- 110

11-Othon Russo/ RJ- 87

12-Gustavo Carreira/ SP- 75

13-Alan Douglas/ SP- 55

14-Renato Andreghetto/ SP- 21

Na CB 300, mais motos e diversidade de vencedores…

COPA CB 300 R – Nesta categoria que, a princípio, é destinada à descoberta e desenvolvimento de novos talentos, tivemos um número bem maior de participantes (23 pontuaram), o que mostra claramente a demanda que existe por este tipo de categoria no Brasil.

  A luta pelo 1o campeonato da história da categoria foi entre Marcos Câmara, Igor Calura e Juracy Rodrigues. No fim das seis provas Câmara venceu o título com 7 pontos de vantagem sobre Calura e 20 sobre Rodrigues.

  A marcha do campeão foi a seguinte; duas vitórias (nas duas últimas etapas, o que foi fundamental para seu título), 2 segundos e 2 quartos. Já Calura venceu a 1a etapa, mas depois só conseguiu 1 segundo, 2 terceiros e 2 quartos. Rodrigues venceu a 3a etapa, depois teve 1 segundo, 1 terceiro, 1 quinto, 1 sétimo e 1 oitavo. O outro que além dos 3 primeiros venceu corridas foi Marciano Santin, com vitórias na 2a e 4a etapa, porém teve duas desqualificações e uma não participação, o que prejudicou sua temporada.

CAMPEONATO:

1-Marcos Câmara/ ES- 130

2-Igor Calura/ SP- 123

3-Juracy Rodrigues/ PR- 110

4-Rafael Noronha/ RJ- 88

5-Murilo Ribeiro/ SP- 82

6-Fabiano Vaz/ RS- 82

7-Marciano Santin/ RS- 68

8-Michel Velludo/ SP – 68

9-Giovandro Tonini/ RS- 62

10-Thiago Batista/ SP- 57

11-Rubens Pacheco/ SP- 56

12-Luiz Pavoni/ SP- 56

13-Marco Reis/ SP- 55

14-Jefferson do Carmo/ SP- 44

15-Matheus Dias/ SP- 42

16-Paulo Fernandes/ SP- 34

17-Diego Galhardi/ SP – 28

18-Silvio dos Anjos/ SP- 22

19-Pedro Sampaio/ SP- 14

20-Rodney Rufino/ SP- 13

21-Suel Dirluiz/ SP- 8

22-Aécio Dias/ SP- 6

23-Lucas Thomaz/ SP- 5

FUTURO- Em relação ao Racing Festival 2012, o calendário já está definido e também a mudança de nome de Fórmula Futuro para Fórmula Fiat. Em relação à Copa Turismo, passará a se chamar Copa Fiat e pode continuar com o Línea, o mais provável, ou ser mudada para outro modelo da Fiat, como o Punto ou Brava. Quanto às motos, até hoje, dia 11/ 01/ 2012, não há nenhuma notícia sobre a continuidade ou não das Hornet ou CB 300, porém é muito provável que a parceria com a Honda continue, inclusive com a entrada da novíssima CBR 250 R no lugar das 300. É o que esperamos.

  Quanto à transmissão do SporTV, esta continua e, segundo deu pra sentir, vai ser inclusive aumentada com a transmissão, ao vivo ou em VT, das provas de sábado. Boas novas.

O gaucho Maico Teixeira e o capixaba Marcos Câmara: we are the champions! 

CALENDÁRIO 2012- O número de etapas continua o mesmo, seis, mas a novidade é a inclusão do circuito de rua de Vitória/ ES, tradicional desde a época da Fórmula Ford, Fórmula Chevrolet e etc, porém não muito favorável às motos, como todos os circuitos de rua, com muros muito próximos, etc…

  Vamos às datas;

-13, 14 e 15/ 04 em Curitiba/ PR

-01, 02 e 03/ 06 em Londrina/ PR

-06, 07 e 08/ 07 em Brasília/ DF

-17, 18 e 19/ 08 em S. Paulo/ Interlagos

-07, 08 e 09/ 09 em Vitória/ ES

-02, 03 e 04/ 11 no Velopark/ RS

  Bom, eis o resumo 2011 e as perspectivas para 2012 das Copa Hornet e CB 300 R (ou CBR 250 R). Vamos torcer que este ano seja melhor ainda e que o campeonato decole de vez. Ficaremos na espreita e qualquer novidade será anunciada pelo seu MM.

  Abrax!

MARCO TULIO BEZERRA

Comentários

2 Respostas para “Motovelocidade Brasil – COPA HORNET e CB 300 R – Resumo 2011”
  1. Paulo Bertini disse:

    Fausto,

    Boas novas para treinos classificatórios e Warm-up da Motogp, existe algum projeto para transmissão ao vivo e algum programa dirigido por ti em relação a 2 rodas.

    falae, rapá……..forte abraço……..acelera Brasil……hohoho

  2. Sergio disse:

    Só pelo calendário da pra ver que não terá CB 300 e Hornet.
    Circuito de rua ridículo para motos,abraço.

Falae, rapá

Solte o verbo, mas sem pesar a mão...
e se quiser incluir um avatar para seus comentários, crie o seu gravatar!