Mundomoto Produtos – Como foi o evento de lançamento da nova Yamaha YS 150 Fazer 2014…

Na semana passada, a convite da Yamaha, fui à Bahia estilo Zé Carioca, para conferir de perto o lançamento da YS 150 Fazer, novo modelo da marca dos três diapasões.

Como ignorante habitante da província, não sabia ao certo o que seria apresentado à caravana de 35 motojornalistas convidados. Hospedados no complexo turístico Costa do Sauípe, cercados pelo mar baiano e campos de golfe,    ficamos jogando conversa fora e aguardando a coletiva de imprensa.

(montagem fotográfica  de motonline.com.br)

No dia e hora marcados, a bancada da Yamaha Brasil estava nos esperando, chefiada pelo Diretor-Presidente, Shigeo Hayakawa, o comercial, Márcio Hegenberg, o gerente de produto, Hilário Kobayashi e Yoshihide Ishi,  líder do projeto no Japão.

Eles começaram falando da Yamaha no mundo, mostrando um vídeo maneiraço dos vários segmentos em que a empresa atua. Motovelocidade, motocross, carros de golfe, motores e veículos dos mais variados tipos e possibilidades sem fim. A Yamaha vendeu 6 milhões de motos em 2012 e pretende alcançar 8 milhões no final deste ano. O lema da empresa continua sendo o “REVS YOUR HEART”, algo como “ACELERE O SEU CORAÇÃO”, bem inspirador.

E quando as Yamagatas descobriram o Brasil, ops, a moto, fiquei surpreso. A YS 150 Fazer bebeu da fonte indiana, a FZ 16, com adaptações. Ao lado da YS havia uma outra moto coberta, o que me levou a especular com meu camarada Gian Calabrese se seria uma trail, uma XTZ vitaminada ou algo no gênero.

Não era, tratava-se do maxi scooter T Max 530, modelo que é sucesso de vendas na Europa há anos e agora chega ao Brasil. Preço? Em torno de 40 mil. Pensamos que a melhor opção seria o 250, um dos 34 modelos de scooter que a Yamaha comercializa nas Oropas, que certamente custaria menos e seria uma primeira resposta ao Citycom 300 da Dafra, que reina solitário nesse segmento há algum tempo.

Vida que segue, e voltando a falar da Fazer, ela tem injeção eletrônica, enquanto a FZ usa carburador, mas a suspensão monoamortecida ficou pelo caminho, assim como o escape esportivo, mas ainda assim a moto chama a atenção.

O motor blueflex, que roda também com etanol, recebeu  vários aperfeiçoamentos, e segundo o release, é o mais potente da categoria, com 12,2 hp a 7.500 rpm (A FZ 16 tem 14 hp a 8.500 rpms, mas não atende o Promot 4), informação que gerou polêmica, pois a Honda CG 150 Titan 2014 gera – anunciados pelo fabricante –  14,2 hp a 8.500 rpm . A moto da Yamaha está 7,6% mais econômica do que a CG (2013), e esse motor deve equipar a XTZ no futuro, esperamos todos.

Depois do lançamento, foi feito um teste prático com a moto e na parte da tarde haveria uma entrevista coletiva, porém na hora ‘H’, ops na hora ‘Y’  as luzes deixaram de funcionar, em mais um apagão no Nordeste. Fiquei decepcionado, achei que se tratava de algum efeito especial para mais um dos 250 lançamentos que a Yamaha promete para os próximos três anos, no mundo, bem entendido.

Nos breves momentos em que  pilotei – estava cheio de motojornalista fominha no evento – a  motinha pareceu bem equilibrada, só não gostei muito do guidão estilo motoboy , que não combina com o meu temperamento fora-da-estrada, e da ausência do lampejador de farol, o que serve de  incentivo ao uso da buzina, já tão presente nas vias públicas nacionais.

O preço da versão básica, sem descanso  central, a capa de banco antiderrapante, setas com   lentes brancas (!) e mola dos amortecedores vermelhas (!!) custa R$ 7.390, e a “completinha” sai por R$ 7.890, preços de Sampa, sem frete (a CG parte de R$ 7.530).  Sem dúvida a YS 150 Fazer representa uma evolução grande em relação à irmã menor, a YBR125. Esperemos que ela abra caminho para outros produtos na faixa até 250 cc, a mais popular não só no Brasil, mas no planeta.

Estamos de olho…

Aí vão mas algumas imagens bacanas da moto e dos motojornalistas…

Saiam das calçadas: os motojornalistas vêm aí!

Marcelo Assunção, da Revista Duas Rodas…

Renato Gava, da RBS…

Gian Calabrese, da Moto Adventure…

Cícero Lima, do portal UOL..

Edú “Minhoca” Zampieri, da Motociclismo…

Téo Mascarenhas, do Estado de Minas…

João Motonauta…

Felipe Passarela, da Revista da Moto!

Marcelo Brettas, da MotoSport…

Sidney Levy, da página motonline…

Suzane Carvalho, do Blog da Suzane…

Giselle Flores da página Sobre Motos…

Eu na garupa do meu camarada Passarela…

E vice-versa…

Fim de tarde no Sauípe…

Iguanas verdes na segurança…

E nativas na piscina…

Obs: algumas fotos foram garimpadas na Internet, considerem-nas licença poética, haha…

Características Técnicas:

Especificação SED ED
Comprimento total 2015 mm 2015 mm
Largura total 735 mm 735 mm
Altura total 1085 mm 1085 mm
Altura do assento 785 mm 785 mm
Altura mínima do solo 160 mm 175 mm
Peso seco 119 kg 117 kg
Peso líquido (ordem de marcha) 132 kg 130 kg
PBT 300 kg 300 kg
Distância entre eixos 1330 mm 1330 mm
Raio mínimo de giro 2200 mm 2200 mm
Motor Refrigerado a ar,

4 tempos, SOHC

Refrigerado a ar,

4 tempos, SOHC

Quantidade de cilindros 1 1
Diâmetro x curso 57.3 mm x 57.9 mm 57.3 mm x 57.9 mm
Taxa de compressão 9,56:1 9,56:1
Torque máximo 1,28 kgf.m / 5.500 rpm 1,28 kgf.m / 5.500 rpm
Sistema de partida Partida elétrica Partida elétrica
Sistema de lubrificação Cárter úmido Cárter úmido
Capacidade do óleo do motor 1,25 L 1,25 L
Capacidade do tanque de combustível (incluindo a reserva) 15,2 L 15,2 L
Alimentação Injeção eletrônica Injeção eletrônica
Sistema de ignição TCI TCI
Bateria 12V – 5Ah 12 V – 5Ah
Transmissão primária Engrenagens Engrenagens
Transmissão secundária Corrente Corrente
Embreagem Úmida disco múltiplo Úmida disco múltiplo
Câmbio 5 velocidades, engrenagem constante 5 velocidades, engrenagem constante
Quadro Tipo: Diamante Tipo: Diamante
Ângulo de cáster 25.4º 25.4º
Trail 86 mm 86 mm
Pneu dianteiro 2.75-18 M/C (42P) 2.75-18 M/C (42P)
Pneu traseiro 100/80-18 M/C (59P) 100/80-18 M/C (59P)
Freio dianteiro Disco hidráulico de

245 mm de diâmetro

Disco hidráulico de

245 mm de diâmetro

Freio traseiro Tambor mecânico de 130 mm de diâmetro Tambor mecânico de 130 mm de diâmetro
Suspensão dianteira Garfo telescópico Garfo telescópico
Suspensão traseira Balança Traseira Balança Traseira
Curso da suspensão dianteira 120 mm 120 mm
Curso da suspensão traseira 92 mm 92 mm
Painel de instrumentos Painel digital – velocímetro, hodômetro total e parcial, indicador de marcha Painel digital – velocímetro, hodômetro total e parcial, indicador de marcha
Cilindrada 150 cm3 150 cm3
Cilindrada real 149,3 cm3 149,3 cm3
Cores Branca, azul ou laranja Preta ou vermelha
Combustível Gasolina e Etanol Gasolina e Etanol
Potência máxima 12.2 cv / 7500 rpm 12.2 cv / 7500 rpm

Comentários

22 Respostas para “Mundomoto Produtos – Como foi o evento de lançamento da nova Yamaha YS 150 Fazer 2014…”
  1. Eli disse:

    Estou colando um post de outra pessoa, perguntando se tem verdade nas manobras da líder: ———————Anderson Gontijo Goiania 07/10/2013 at 17:24 Responder
    A retração do mercado vem desde 2008, quando a Honda conseguiu, via lobby, que os bancos financiassem apenas as suas motos. Em 2006 ela tinha 81,8% do mercado, em 2007 tinha 74% e em 2008 atingiu 67%. Com medo do seu império ruir, eles conseguiram encerrar os financiamentos para motos não Honda. A Yamaha estava em 2006 com 14%, viu sua participação cair para 8,8% e teve de abrir o Banco Yamaha, senão iria ruir também. As demais marcas não tiveram como fazer isso e foram ao buraco. veja a Suzuki que tinha 7% em 2006 e 2% em 2013. A Dafra forçou o Itau, a financia-los mas em pouco tempo participou da queda. ————— Meu comentário é que comprar Moto, vez em quando, somos “encaminhados” por forças “estranhas” —– será?????

  2. Claudinei disse:

    Ola pessoal gostaria de saber de verdade o porque a Yamaha do Brasil nao traz uma lançamento digno para nos, sera que nos Brasileiros estamos tao ruim assim das pernas para nao comprar uma moto como a que foi a do lançamento na India. Poxa acho que se esta moto Fzs que foi lançada na India tivesse sido lançada aqui tbm seria com certeza recorde de vendas pois tenho certeza que ela agradou muitas pessoas assim como eu. Eu tenho uma RD 350 1990 prata e sempre gostei da Yamaha bom resumindo por favor Yamaha do Brasil tenha mais consideraçao conosco pois nos temos com vcs um forte abraços a todos…………

  3. Rodrigo B. disse:

    O pós da Yamaha é uma Mer…. e o Consórcio consegue ser pior…

  4. Eligedson disse:

    Pago consórcio da titan ex, mas quando for contemplado, pegarei a carta de crédito para pegar a fazer 150 que está com um conjunto bem melhor!

  5. Valdemir Farias disse:

    Sou proprietário de uma Honda EX MIX 150cc, pois fui obrigado a compra-la pois não existia cilindrada de 150cc nas demais, faz muito tempo que espero por essa Yamaha Fazer 150cc, mais agora vou realiza meu sonho, voltando para Yamaha definitivamente, pois já fui proprietário das Yamahas, RX 180 cc custon, TT 125, RX125 e DT180, todas essas citadas, com moto 2 tempos, a nova Yamaha 150cc ficou faltando só a suspensão pro-link, pois sua irmã 150cc indiana já tem, mais estou muito satisfeito com esse lançamento, pois vou comprar a minha com certeza!

  6. Reynaldo disse:

    Ae galera motociclista da yamaha, ñ entendi o porque da mudança da yamaha em mandar para o brasil a 150cc estilo fazer, se a que estava pra vim era a 150 FZ16. Será q ela pensa q os brasileiros ñ são dignos de lançamentos mais respeitosos. Ou devem achar q classe motociclista ñ entendem de motos. Estamos enjoados de feijão e arroz se é q me entendem.

    Sou do estado de Alagoas, cidade de Arapiraca, Nordeste deste imenso Brasil de meu Deus.

  7. jakson disse:

    galera a matéria ficou boa! esse pessoal que pega pesado.
    sobre a nova fazer 150, só faltou a suspensão monocross. ai, sim iria colocar as concorrentes atras.

  8. craftsman disse:

    As yamaha de baixa cilindrada, 250 pra baixo, são as melhores do mercado. Se a yamaha caprichasse no estilo visual poderia desbancar a honda. Tem que melhorar a rede autorizada tambem.

  9. livio eduardo disse:

    gostei muito da matéria…também do novo modelo da moto mas ainda continuo esperando para ver a nova xtz ..tenho uma e não abro mão dela …e vamos ficar aguardando pra ver se realmente esse motor vai ser o mais novo sucesso da yamaha assim como os já consagrados 125 que estão até hoje rodando no mercado nacional..

  10. Roger disse:

    A FZ16 é bonita,mas seu tanque tem apenas 12 litros,é mais pesada (124kg a seco) e é carburada…A nova Fazer 150 parece que ficou bem bonita e com porte bacana,injetada,flex…a base parece ter sido a FZ16,então quem sabe num futuro próximo (10 ou 15 anos rsrsrs),suspensão mono…por hora tem tudo pra “fazer” muito sucesso…
    Sobre a reportagem,ficou bem completa,valeu!

  11. Velton disse:

    A laranja ta show vou compra uma

  12. Bem ao meu ver poderiam ter se aproximado da Famosa e Tao Sonhada ZF16, porque nao falao a verdade para seus consumidores ,sera que os Indianos ,japoneses e toda americalatina pode ter a Famosa e nos NAO; NOS que pagamos os produtos Yamara Mais CAROS Deveriamos ter Tambem PRODUTOS pelo memos IGUAS aos LA DE FORA MAIS Respeito ? A eu tenho uma 600cc, e uma fector 125cc, tenha bastante esperiencia na yamara so uso pesas originais ok RJ.

  13. achei muito bonita a fazer 150,contudo vou esperar para ver se esse motor vai ser tao bom quanto ao da ybr.Porque se for vou comprar uma .estou cansado da minha cg150 que nao aguenta mais que 50000km eta motor disse:

    ruím.se for bom mesmo a honda vai ter que se mexer e bem rápido

  14. Flavio disse:

    essa motinha ficou show de bola… por enquanto não preciso trocar de moto, a minha Factor “vermeinha” dá conta do recado muito bem, mas mais pra frente se eu tiver uma graninha sobrando, essa “Fazerzinha” tá no topo da minha lista… resta saber se o novo motorzinho 150 da Yamaha é tão confiável quanto o já conhecido 125 que equipa Factor e XTZ (pra mim as melhores 125 em produção), se isso se confirmar teremos a melhor 150 do mercado

  15. Charles disse:

    Bela matéria!
    Fausto Macieira é um grande jornalista.
    É um grande avanço para o nosso mercado, ainda bem que a yamaha acordou, eles tem bons produtos, infelizmente no brasil fazem questão de ficar sempre atrás.
    Não ficou do jeito que deveria, faltou muita coisa ainda, mas ficou muito bonita e com certeza fará os demais melhorarem seus produtos também.
    Pé central, lampejador farol, corta corrente e freio a disco traseiro deveria ser de série, economia besta.

  16. Diego S disse:

    Ei Fausto, gostei muito das tuas cotoveleiras, tem como falar delas, tipo a marca preço, se elas ajustam bem?

  17. ADAILTO disse:

    nao sei se foi uma exigencia da yamaha,mas em nenhum site, ninguem postou foto da traseira da moto,somente tem uma foto padrao fornecida pela yamaha.eu sempre achei a traseira da ybr RIDICULA.SERA!!!

  18. Fausto Macieira disse:

    Ei turma,
    O espaço do blog está aberto para todos que quiserem expressar suas opiniões, desde que atendam as regras básicas que são: falou palavrão, xingou o outro, rua, é o mínimo dos mínimos.
    Foi o que aconteceu com o comentário sobre o Nakamoto e acontece com todos os comentários excessivamente ofensivos.
    Afora isso quase tudo é permitido, inclusive conteúdo sem noção, obtuso, português ‘atípico’, pérolas sem fim.
    A alternativa é fechar para comentários, como já fizemos duas vezes aqui.
    Não é a melhor opção, especialmente porque prejudica os sensatos.
    Conto com a compreensão de quem as tenha.
    Fausto Macieira

  19. Rodrigo disse:

    Não sei como a Yamaha perde tempo em convidar um cara como o Macieira p/ eventos.

  20. Alexandre Piloto disse:

    Cadê a 250? Não foi lançada lá?

  21. CARLOS ROBERTO - RONDONOPOLIS - MT disse:

    fico show a motoca.. com 14hp sera q da tudo isso mesmo sei nao

  22. Fábio CWB disse:

    bela apresentação a única falha foi um motojornalista com a viseira do capacete aberta (joão motonauta) onde está o exemplo galera.

Falae, rapá

Solte o verbo, mas sem pesar a mão...
e se quiser incluir um avatar para seus comentários, crie o seu gravatar!